Conheça a Informant          RSS

Posts Tagged: Empresa


10
Feb 14

Os principais erros que você pode estar cometendo com a segurança do seu software

software

Cuidar da segurança de um novo software é uma das áreas mais complexas para qualquer empresa. Todos os dias criam-se novas formas de invasão e mais pessoas estão dedicando tempo a escrever códigos maliciosos para roubar informações ou prejudicar os usuários. Hoje, vamos mostrar quais são as falhas mais exploradas por estas pessoas.

É fundamental que haja uma metodologia de testes e análises para eliminar a possibilidade de falha de segurança. Porém, há alguns erros comuns em várias ferramentas que podem estar aumentando drasticamente os riscos. Com mudanças simples e sem aumento no custo de desenvolvimento do sistema entretanto, é possível mitigá-los.

Abaixo exploraremos três erros que podem estar colocando em risco a segurança do seu software. Veja só:

Pouca preocupação com a usabilidade

O maior risco de segurança que seu software corre é em relação à maneira como será usado. Não há segurança que evite o vazamento de informações quando o assunto é a falta de conhecimento de quem está utilizando a ferramenta.

Dessa forma, é muito importante que, ao desenvolver o sistema, seu time se coloque no lugar do usuário comum e tente evitar as falhas mais provavéis de serem cometidas por ele. Incluir, por exemplo, verificações de segurança em dois passos ou recuperação de senha que precise mais do que apenas a informação do e-mail já são detalhes que diminuem as chances de invasão e perda de informações.

É comum que empresas acreditem que todos os usuários do software serão usuários com vasto conhecimento de internet e que não facilitarão o acesso de terceiros às suas contas. Tratar o usuário como leigo não é diminuí-lo, mas sim trabalhar pela segurança dele.

Softwares desatualizados

A construção de um software requer o uso de diversas outras ferramentas, plug-ins, scripts, banco de dados, entre outros. Muitas vezes, partes desses códigos podem conter brechas de segurança que colocarão todo o sistema em risco.

Isso é muito comum em empresas com grandes equipes de desenvolvimento, mas também vem acontecendo com startups que utilizam, em algumas vezes, partes de outros códigos, seja sob licença open-source ou mesmo de outros projetos próprios. Ter todos os plug-ins atualizados garante menos falhas de segurança. Por outro lado, é preciso lembrar que muitas atualizações carregam com elas falhas que podem ser mais danosas do que manter desatualizados. Dessa forma, é fundamental testar esses novos pedaços de código antes de colocar em modo de produção.

Falta de auditoria

Muitas vezes é difícil encontrar vícios no código pelo simples fato de que o time de desenvolvimento já está acostumando com a ferramenta. Dessa forma, é muito importante contratar uma auditoria externa para avaliar a qualidade do software. Atualmente, o mercado dispõe de muitas opções, reduzindo os custos. Assim, mesmo empresas menores e startups podem contar com este apoio.

Deixar o seu código nas mãos profissionais qualificados antes do lançamento certamente evitará uma série problemas que não foram percebidos. Acreditar que apenas a sua empresa é capaz de encontrar e consertar todas as falhas de segurança pode criar uma ferramenta frágil e passível de invasões, colocando em risco não apenas os dados dos seus usuários, mas a reputação do seu negócio.

Precisa da ajuda de especialistas com qualquer área do seu software? Fale com a informant!


04
Feb 14

Vale a pena migrar meu software para a nuvem?

softwareMuito se fala sobre computação em nuvem, conhecida também como cloud computing. Mas quais são os benefícios reais em utilizar esse modelo? Vale a pena migrar para esse tipo de infraestrutura mesmo tendo uma pequena ou média empresa? Essas perguntas estão na cabeça de muitos gestores e gerentes de TI. O fato é que se você, ou sua empresa, já utilizam aplicativos do Google ou serviços como o Dropbox, para citar apenas dois exemplos, você já está usando a computação em nuvem.

Essa tecnologia veio pra ficar e vai modificar a forma como as empresas operam e fazem negócios. Saiba quais são os principais benefícios em utilizar cloud computing e descubra definitivamente se vale a pena mudar seu software para a nuvem.

Mobilidade

Um dos principais benefícios da computação em nuvem é a mobilidade que ela proporciona aos usuários. Essa tecnologia acompanha o universo dos dispositivos móveis, que estão cada vez mais presente no dia a dia dos negócios. Executivos de sucesso precisam estar conectados com os dados e informações de suas empresas. Mesmo durante viagens de negócios e reuniões externas, além do escritório ou até mesmo de casa.

Migrar seu software para a nuvem significa ter acesso às informações estratégicas de seu negócio a partir de qualquer dispositivo conectado à internet. Isso facilita não apenas a tomada de decisões, como também dá mais agilidade e competitividade para sua empresa.

Redução de custos

A computação em nuvem facilita o surgimento de um novo paradigma na área da tecnologia da informação. Empresas que antes adquiriam as licenças de uso de software por máquina, agora podem contratar esses recursos como serviços por usuário. O cloud computing tornou possível o software como serviço, conhecido como SaaS (Software As A Service). Nesse sentido, empresas que antes gastavam com hardware para hospedar programas e aplicativos, licenças de softwares que precisam ser renovadas anualmente e funcionários especializados para gerir toda a infraestrutura, podem agora contratar tudo isso em um único serviço.

Isso representa uma redução de custos em toda a área de tecnologia das empresas. Já que os serviços responsabilizam-se não apenas pela segurança dos dados, como também por atualizações e backups de rotina. Sendo assim, a computação em nuvem representa também um aumento da produtividade do seu core business, que se torna mais ágil.

Segurança

Outra grande vantagem do cloud computing é o seu sistema distribuído de armazenamento. Ele garante a integridade e segurança das informações. Quando o software se encontra hospedado na nuvem, ele está utilizando recursos de diversas máquinas possuindo dados atualizados em tempo real. A infraestrutura robusta dos provedores garante um serviço ininterrupto 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ter seus dados hospedados em ambientes virtuais reduz os riscos de quedas de energia, problemas de hardware ou até mesmo ataques virtuais.

Essas são apenas algumas das inúmeras vantagens proporcionadas pelo cloud computing. Migrar seu software para a nuvem significa ter mobilidade para a tomada de decisões, agilidade e segurança dos dados, sem falar na redução significativa de custos.

Deciciu migrar o seu software? Precisa de mais informações? Fale com a Informant!


22
Jan 14

Case de inovação: 3M

3m

Inovação se tornou um conceito recorrente nas organizações que querem se destacar em um mercado cada vez mais disputado. No entanto, mais que um termo listado no lema da companhia, ela deve ser parte integrante do dia a dia das empresas que buscam oferecer produtos e serviços realmente inovadores e com vantagens competitivas.

Uma das marcas que conseguiu incorporar a inovação à sua rotina e transformá-la em seu core business é a 3M, empresa norte-americana sediada no estado de Minnesota.

Conheça aqui esse caso de sucesso.

Origem

Fundada no início do século XX, a 3M atuava inicialmente no ramo de mineração para atender à indústria dos Estados Unidos. No entanto, as dificuldades e riscos encontrados no setor fizeram com que a empresa voltasse seus olhos para a produção de abrasivos, produtos usados para polir e limpar outros materiais.

Quase 20 anos após sua fundação, a 3M desenvolveu sua primeira grande inovação, a lixa d’água. A partir daí a companhia iniciou suas atividades de Pesquisa e Desenvolvimento, área em que investe atualmente quase 1 bilhão de dólares por ano, e passou a incentivar seus funcionários a desenvolver produtos inovadores em busca de novos mercados.

Gestão da inovação

Se você ouvir qualquer funcionário da 3M explicando as razões para o sucesso da empresa, é bem provável que a resposta seja a mesma: a marca conseguiu criar uma cultura adequada para que as inovações apareçam.

Para chegar nesse nível, a 3M incorporou diversas ações à sua rotina. Os funcionários têm tempo e são estimulados a explorar novas ideias, mesmo que elas não levem a lugar algum. As melhores propostas são reconhecidas e premiadas por meio de programas formais.

Os empreendedores internos também conseguem recursos para colocar suas propostas em prática de várias maneiras. Além disso, a empresa estimula reuniões e encontros, formais ou informais, para discutir as ideias e os rumos dos seus produtos.

A 3M também faz questão de que seus funcionários circulem entre as diversas áreas da empresa, estimulando o trabalho em equipe, a colaboração e a interdisciplinaridade. Essa estratégia faz com que os colaboradores se sintam estimulados a arriscar e sejam tolerantes aos erros. Dessa forma, a inovação pode brotar dos lugares mais inesperados.

O caso Post-it

A marca Post-it é um dos casos mais célebres de como uma empresa precisa estimular a cultura da inovação e tolerar os erros para alcançar o sucesso.

O Post-it teve origem em 1968, quando um pesquisador da 3M desenvolveu um adesivo que aderia às superfícies, mas acabava se soltando com muita facilidade. Apesar de ter se intrigado com a descoberta, o funcionário não identificou qualquer uso imediato para a invenção e a considerou um fracasso.

Mais de 10 anos depois, seu colega Art Fry teve a ideia de usar o adesivo em blocos de notas após viver um problema no coral da igreja: ao passar as páginas da pasta com as músicas, o pesquisador se irritou com as folhas que caíam o tempo todo.

Depois de adaptar o adesivo aos bloquinhos, a 3M lançou o produto em fase de testes e percebeu rapidamente seu potencial. Há quase 30 anos no mercado, o Post-it alcançou sucesso mundial e já possui mais de mil produtos sob a marca da empresa.

Indicadores

A 3M também foi uma das primeiras empresas a mensurar os resultados de suas inovações nos lucros. Um de seus principais indicadores mede a porcentagem das vendas que se deve aos produtos fabricados nos últimos cinco anos.

A companhia exige que ao menos 30% das suas vendas venham de produtos novos, enviando uma mensagem clara a todos os seus gestores e colaboradores: a estratégia é olhar sempre à frente em busca de novas oportunidades.

Todas essas práticas fizeram da 3M uma fabricante dos mais variados produtos, dentre eles adesivos, abrasivos, laminados, produtos dentais, automotivos e materiais eletrônicos. A receita anual da empresa é estimada em 30 bilhões de dólares, com um portfólio de 50 mil produtos comercializados em quase 200 países e empregando mais de 80 mil funcionários.

Gostou da história da 3M? Você conhece outra inovação produzida pela empresa? Deixe aqui seu comentário!


02
Jan 14

Outsourcing ou desenvolvimento interno? Como decidir?

outsourcing

O outsourcing, prática cada vez mais difundida em mercados de todo o mundo, é muito usado pelas empresas que estão em busca de redução de custos ou que se preocupam em dedicar mais tempo e esforços às suas atividades prioritárias.

A alternativa ao outsourcing é o insourcing (desenvolvimento interno), modelo buscado por organizações que desejam ter controle total sobre as ferramentas que utilizam em seus negócios e operações.

Para saber qual das opções é a mais adequada, é preciso analisar aspectos que variam de acordo com os objetivos da empresa e que podem impactar nos resultados no curto, médio e longo prazo.

Saiba como decidir entre outsourcing ou desenvolvimento interno ao implantar um software:

Foco

Antes de avaliar as vantagens e desvantagens de cada uma das alternativas, é preciso decidir quais os objetivos que a empresa quer alcançar com o desenvolvimento do software.

Reflita se o projeto servirá apenas como apoio às atividades essenciais realizadas por seus funcionários ou se é crucial para a entrega de produtos e serviços aos clientes. Pensar nisso pode contribuir para um maior entendimento sobre as necessidades da empresa e, consequentemente, para uma avaliação mais criteriosa do modelo a ser escolhido.

Custos

As fases de desenvolvimento e implantação de um software ocorrem de maneiras completamente diferentes no outsourcing e no insourcing, o que faz com que seus custos também sejam distintos.

No desenvolvimento interno, a empresa deverá investir recursos para contratação e treinamento de profissionais de TI, compra de infraestrutura de hardware e software, estrutura física para receber a equipe e os equipamentos e a gestão de todo o processo.

Já no outsourcing, a empresa não terá esses gastos, mas precisará pagar o serviço prestado pelo provedor da solução. De forma geral, os custos nesse modelo são inferiores tanto no momento inicial quanto no médio e longo prazo.

Controle e segurança

Algumas organizações mais conservadoras optam pelo insourcing em busca de maior controle sobre a gestão dos softwares e hardwares utilizados pelos funcionários. Os gestores temem que o outsourcing proporcione mais problemas que soluções, tendo em vista que o fornecedor é outra empresa, com objetivos de negócio diferentes.

Além disso, essas empresas preferem o desenvolvimento interno pela facilidade de comunicação entre todas as pessoas envolvidas no projeto, sejam eles clientes, patrocinadores, desenvolvedores ou usuários. Outra preocupação comum entre os gestores é a segurança da informação, já que no insourcing os dados ficam restritos à empresa que adota a solução.

No caso do outsourcing, o desenvolvimento do software, assim como sua manutenção e operação, ficam sob responsabilidade do provedor. Isso diminui a esfera de atuação do cliente sobre a solução e pode criar ruídos na comunicação entre as partes.

No entanto, optar pelo outsourcing não significa abrir mão da segurança, pois muitos fornecedores do serviço no mercado são certificados por normas de segurança e possuem ferramentas adequadas para a proteção dos dados armazenados.

Atualização

No desenvolvimento interno, a própria empresa será responsável por garantir que o software esteja sempre atualizado no mercado, o que pode significar o empenho de tempo e recursos preciosos que poderiam ser direcionados para o negócio.

Por outro lado, no outsourcing, o cliente terá acesso a conhecimentos e habilidades da equipe do provedor do serviço. Esses recursos jamais poderiam ser obtidos em uma equipe interna com custos equivalentes.

A eficiência e a produtividade nas soluções de outsourcing costumam ser maiores, pois o trabalho é realizado por especialistas que já possuem experiência no mercado. Além disso, as empresas provedoras têm acesso mais rápido e frequente a novas tecnologias e tendências do setor, aumentando as chances de alcance de vantagens competitivas.

Flexibilidade

O insourcing também pode fazer com que sua empresa encontre dificuldades ao enfrentar períodos de mudança. Caso o negócio comece a crescer ou o empreendedor identifique oportunidades de alterar a forma como funcionam suas operações, será necessário adaptar toda a equipe e a infraestrutura de TI da empresa à nova realidade.

Já no outsourcing, a flexibilidade para mudanças é bem maior, tendo em vista que o cliente só precisará solicitar ao provedor do serviço a adaptação ao novo contexto para que ele mesmo dimensione as equipes e recursos necessários para isso.

Se decidiu pelo outsourcing? Quer saber mais sobre como escolher um parceiro e como acompanhar o seu trabalho? Fique ligado no blog da Informant!


23
Dec 13

Case de Inovação: Conta Azul

conta azul

Começamos, no post passado [LINK PARA O POST SOBRE INOVAÇÃO] a falar da importância da inovação e como ela pode transformar um negócio. Hoje, apresentaremos um caso de sucesso, de uma empresa que, através da inovação se tornou um grande sucesso: A Conta Azul.

Enxergar uma oportunidade

Você conhece o termo ERP? A sigla é a abreviação de Enterprise Resource Planning, ou, em bom português, Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Um ERP é um sistema que integra todos os dados e processos de uma empresa. Armazenando as informações dos diversos setores em um mesmo local, ele permite a integração de processos, maior confiabilidade nos dados e um ganho geral de eficiência e de acerto nas tomadas de decisão de qualquer empresa.

Entretanto, mesmo sendo uma ferramenta importante para qualquer empresa, a implantação e manutenção de um ERP completo sempre foi um processo lento, caro e complicado. É neste cenário que emerge a Conta Azul, ainda com o nome ÁgilERP.

Atender a necessidade

Ao perceber que todas as empresas poderiam se beneficiar de um sistema de gestão integrado, mas nem todas dão conta dos custos e dificuldades técnicas da sua implementação, a Conta Azul desenvolveu uma solução única. Através da computação em núvem, a empresa disponibiliza um ERP completo, mas de baixo custo e fácil implementação.

O software funciona na internet, o que dispensa a instalação de programas e sistemas complicados. Ainda assim, permite o controle de vendas, compras, emissão de boletos e relatórios: ferramentas essenciais para que o empresário acompanhe a saúde financeira e operacional de seu negócio.

Investindo pesado em ergonomia e usabilidade, [LINK PARA POST SOBRE UX], a Conta Azul conseguiu criar um software que, mesmo poderoso, ainda é fácil de usar. Ao remover as grandes barreiras de entrada das empresas a um ERP (complexidade e preço) o resultado não podia ser outro: sucesso absoluto.

Colher os resultados

Em 2011, ainda com o nome ÁgilERP, a empresa foi convidada a participar de um office hours da 500startups, uma das aceleradoras mais respeitadas do mercado. Foi então selecionada para passar 4 meses com a aceleradora,  no vale do silício. A convicência com profissionais experientes por lá rendeu um grande aprendizado para o time, e o investimento feito pela 500startups tornou possível a conclusão do produto.

Pouco tempo depois o Conta Azul já estava sendo lançado oficialmente no mercado. Ao mesmo tempo, Monashees Capital e Napkn Ventures também investiram na empresa, o que acelerou ainda mais o seu crescimento.

Foi recentemente, em Maio de 2012, que o time voltou para o Brasil e começou a montar a equipe que hoje compõe o Conta Azul. De lá para cá, ganharam o prêmio de melhor aplicação web no Brazil Startup Awards, levantaram mais uma rodada de investimentos, venceram como melhor aplicativo de gestão pela Folha de São Paulo e foram reconhecidos uma das melhores startups B2B pelo The Next Web.

A empresa, que começou como um projeto para atender uma demanda interna, viu uma oportunidade onde a maioria das pessoas só via problemas: facilitar a gestão de micro e pequenas empresas. Sua coragem, em inovar e oferecer o que ninguém mais conseguia, a tornou um sucesso absoluto. Hoje a Conta Azul angariou mais prêmios e reconhecimento que se pode contar e conta uma base de milhares de clientes.

Quer trazer inovação ao seu negócio e não sabe por onde começar? Entre em contato com a Informant!


13
Dec 13

Preciso de um software para a minha empresa. E agora?

software

Quando seu negócio começa a crescer e as tarefas do dia a dia se tornam mais complexas, contar com um software sob medida pode fazer com que o trabalho em sua empresa seja mais produtivo.

Sempre que uma organização identifica a necessidade de desenvolver um novo sistema, é comum se encontrar diante de algumas dúvidas, afinal essa é uma atividade que exige conhecimentos específicos. Algumas empresas buscam soluções mais simples e caseiras, delegando a tarefa a um funcionário próprio, enquanto outras optam por sistemas de prateleira, que muitas vezes podem não se aplicam à realidade do negócio.

Para que uma aplicação possa realmente atender às particularidades do seu empreendimento, uma boa opção é a contratação de uma fábrica de softwares, ou seja, um parceiro que reúne pessoas, recursos, processos e métodos totalmente voltados para a elaboração de sistemas de forma ágil e com qualidade.

Saiba o que fazer quando você precisa de um software para sua empresa:

Reflita

O primeiro passo a ser seguido é o entendimento das necessidades. Naturalmente, você já sabe em linhas gerais o que o novo software deverá entregar, mas é preciso elaborar um pouco mais esse raciocínio para facilitar as próximas etapas.

Pense em qual é o seu principal problema e como ele pode ser resolvido. Existem outros benefícios relacionados que o software também pode trazer?

Nesse momento, não foque somente nas necessidades imediatas, mas também nos objetivos de longo prazo. Lembre-se que as tecnologias podem se tornar obsoletas em poucos anos e, por isso, é importante saber como o software pode evoluir. A aplicação deverá ser capaz de acompanhar o crescimento da empresa? O sistema deverá estar totalmente integrado com outras ferramentas de gestão para obter ou fornecer dados?

Agindo assim, você pode aproveitar a oportunidade de fazer com que o projeto já contemple funcionalidades que serão necessárias somente no futuro, sem precisar investir recursos novamente.

Escolha um parceiro

A tarefa de reflexão sobre os requisitos necessários para o software pode ser enriquecida com a contribuição da fábrica de software. Agora que você já sabe o que quer, escolha um fornecedor que compartilhe dos valores e princípios de seu negócio para que o trabalho seja harmônico e alinhado com suas expectativas.

Por desenvolverem produtos e serviços para os mais diversos setores, as fábricas de software trazem mais confiabilidade ao processo, reaproveitando o conhecimento e as funcionalidades de projetos anteriores. Além disso, estão alinhadas com as últimas tendências de tecnologia da informação e podem garantir vantagens competitivas para seu negócio.

Em uma fábrica, as entregas também são rápidas e as primeiras versões do programa podem ser testadas em um curto espaço de tempo. Dessa forma, diminuem-se os custos com programação e retrabalho.

Lembre-se que o parceiro escolhido deve ser mais do que uma simples complementação da sua equipe. A fábrica está sendo contratada para alcançar objetivos que sua empresa não conseguiria sozinha, por isso tente encontrar um fornecedor que te faça sentir confiante em todas as etapas do projeto.

Estude as ferramentas e metodologias de desenvolvimento de softwares existentes no mercado, isso pode ser importante na hora de conversar com o representante da fábrica e discutir os pontos positivos e negativos de cada uma delas.

Envolva a equipe

Antes de começar o projeto, uma importante estratégia é reunir as equipes que podem ser impactadas de alguma forma pela implantação do software para apresentar a iniciativa. Dessa forma, eles estarão cientes das mudanças que poderão ocorrer no futuro e ainda poderão contribuir para a definição dos requisitos do sistema.

Além disso, quando os funcionários se sentem envolvidos no projeto, eles estarão mais propenso a colaborar com os desenvolvedores da fábrica para que as etapas fluam da melhor maneira possível.

Defina prazos

Quando contratar uma fábrica de software, pense com cuidado no prazo necessário para que o sistema esteja totalmente disponível. Estabelecer uma data limite é crucial para que o projeto siga as etapas planejadas, evitando que as entregas ocorram de forma desordenada e ocasionem aumentos nos custos e outros problemas.

Não se esqueça de acompanhar o status de cada uma das etapas do desenvolvimento junto ao fornecedor, identificando gargalos e oportunidades de melhoria durante o projeto.

Pronto para começar o projeto do software da sua empresa? Precisa de mais informações? Entre em contato com a Informant!