Conheça a Informant          RSS

Posts Tagged: cloud computing


02
Dec 13

Software na nuvem, conheça 4 mentiras que você possivelmente acreditava.

software na nuvemQuando conceitos inovadores surgem no mercado, é comum que, em um primeiro momento, muitas pessoas desconfiem de seus reais benefícios. Afinal, quando nos deparamos com algo que está fora de nossa realidade, somos tentados a fazer previsões e acreditar em boatos que se espalham facilmente.

A situação da computação em nuvem, recurso em que os dados e aplicações das empresas ficam armazenados em servidores web e não no hardware local, não é diferente.

Alguns conceitos equivocados sobre a cloud computing se espalharam após sua disseminação no setor de tecnologia da informação. Fique atento, pois alguns deles podem atrasar a sua empresa na adoção de softwares que proporcionam diversas vantagens competitivas.

Confira 5 mentiras que você acreditava sobre software na nuvem:

Não é seguro

A segurança é a primeira preocupação dos empresários em relação aos softwares na nuvem. Essa precaução cresce à medida que as empresas os adotam pela primeira vez em seus negócios, pois ninguém quer ver dados importantes sobre suas operações expostos.

Por outro lado, alguns serviços da nuvem já são utilizados por todas as empresas que querem se manter competitivas, como provedores de e-mail, redes sociais, sites de armazenamento e envio de arquivos, entre outros.

Além disso, nos últimos anos a nuvem tem se mostrado mais segura e confiável que que os próprios data centers das empresas. Isso acontece porque os servidores no mercado oferecem recursos de proteção avançados para armazenar os dados. Algumas empresas chegam a criptografar as informações mais de uma vez e distribuir em múltiplos locais para aumentar ainda mais a proteção.

Na nuvem, as empresas que fornecem o serviço ainda precisam contar com equipes exclusivas voltadas para a segurança, estabelecer processos para atender à legislação, receber auditorias periódicas e promover atualizações em suas aplicações.

É caro

Muitos empreendedores de pequenas e médias empresas (PMEs) têm aversão aos softwares na nuvem por acreditarem que eles geram mais gastos. Na verdade, os empresários que aproveitam essas tecnologias podem desembolsar menos que seus concorrentes!

Tendo em vista que, na cloud computing, os dados e aplicações estão hospedados nos servidores do fornecedor, os custos com hardware, software, instalação, manutenção e atualização serão menores. Além disso, a utilização do serviço elimina o esforço e as despesas necessários para implementar tecnologias equivalentes, que também acabam tirando o foco do negócio.

Apesar da mudança para o ambiente da nuvem exigir um investimento inicial, as economias no decorrer do tempo podem ser extremamente vantajosas. Ainda assim, a redução de custos não deve ser vista como a única motivação para adotar os softwares na nuvem. Muitas empresas seguem esse caminho também para aumentar a produtividade, a inovação e agilidade para responder as demandas do negócio.

Prejudica o meio ambiente

Para que os dispositivos móveis e a computação em nuvem funcionem em sua plenitude, é necessário contar com data centers robustos espalhados por todo o mundo. Essas construções consomem energia e, consequentemente, geram dióxido de carbono, contribuindo para a degradação do meio ambiente.

No entanto, com o desenvolvimento de novas tecnologias, a cada dia que passa a computação é capaz de fazer mais com menos energia. Além disso, muitas das ações que fazemos pela web podem substituir outras tarefas que consomem materiais e energia, como o deslocamento de veículos.

Não serve para PMEs

Muitos empresários acreditam que a computação em nuvem só serve para grandes empresas. Essa é uma das grandes mentiras do setor, pois os negócios de pequeno e médio porte podem ser os maiores beneficiários da tecnologia.

O mercado de cloud computing tem preços, disponibilidade de softwares e infraestrutura para empresas de todas as dimensões. Além disso, algumas aplicações são voltadas especificamente para as PMEs, facilitando o trabalho do dia a dia e proporcionando inúmeras vantagens competitivas.

Sua empresa já usa serviços de cloud computing? Em quais áreas? Comente!


07
Aug 12

Computação em nuvem é tendência nas empresas

Segundo pesquisa da Cisco*, a tecnologia da computação em nuvem é uma tendência nas corporações. E os principais motivos para a adoção das aplicações na nuvem são economia, flexibilidade e redução de demanda operacional.
O estudo contou com a participação de cerca de 1.300 pessoas em 13 países, que afirmaram que escolheriam aplicações com enfoque em armazenamento (25%), ERP (20%), e-mail (16%) ou colaboração (15%) se pudessem selecionar apenas um serviço.
Os participantes também disseram que a principal preocupação ao implementar aplicações na nuvem é a segurança dos dados (72%). Em segundo lugar (67%) ficou a disponibilidade e confiabilidade da rede.
A Informant está no mercado desde 2008 e tem um histórico comprovado em criar estratégias de implantação de soluções em nuvem, contando com profissionais com domínio em desenvolvimento para a nuvem, especialistas em cloud computing, ergonomia & usabilidade e em aplicativos SAAS.
Somos parceiros da Amazon e da Microsoft em ambientes Azure, e possuimos ainda conhecimento em outros provedores de nuvem, como Rackspace. Com isso ajudamos empresas a terem os melhores resultados comerciais de forma rápida, econômica e com o menor risco.

*Dados:  Revista INFO


17
Jul 12

A “nuvem” não só facilita o dia a dia como também reduz – e muito – os custos fixos.

A ideia de utilizar softwares como serviço, mais conhecidos como SaaS, por meio da internet, em qualquer lugar e independente da plataforma, com a mesma facilidade como se estivessem instalados no próprio computador, já virou realidade e é considerada tendência no mercado de Tecnologia da Informação, graças a Computação em Nuvem (Cloud Computing). Uma pesquisa realizada pela Cisco Global Cloud Networking Survey, com mais de 1,3 mil entrevistados na área de TI, em 13 países, desvenda que, se pudessem fazer apenas uma escolha para mover uma aplicação para nuvem, ela seria focada em: armazenamento (25%), ERP (20%), E-mail (16%), e colaboração (15%).

Tendo como conceito de que todo sistema desenvolvido deve ser armazenado em nuvem, a Informant, primeira empresa brasileira especializada no mercado SaaS e em Criação e Manutenção de Produtos de Software, nasceu com a visão de que investimento em licenças, implantação, treinamento, entre outros fatores, era algo do passado, direcionando assim todos os esforços da empresa para aplicações na web. Dessa forma, a Informant possui conhecimento para implementação de aplicações em nuvem nas mais diversas tecnologias e serviços, como: elasticidade automática, filas, envio de emails, bancos relacionais e não relacionais de alto desempenho, armazenamento, rede de distribuição de conteúdo digital, transmissão de áudio e vídeo, entre outros.

“Se aplicado ao conceito SaaS, em que um software desenvolvido à uma corporação é oferecido como serviço, a aplicação em nuvem permite que o usuário não precise adquirir licenças de uso para instalação, nem dependa de servidores em rede para executá-lo, já que o conteúdo ficará disponível na internet, se tudo está na nuvem é possível acessar as informações a partir de qualquer computador, em todos os lugares, à hora que desejar. Com isso, diminui significativamente os custos em servidores para exercer a função de datacenter, além de apresentar uma redução dramática no custo de suporte quanto à implantação de novas versões nos ambientes dos clientes. Devido à natureza da nuvem, as aplicações ficam centralizadas, e não é necessário a transferência de arquivos de atualização. A disponibilidade também é um ponto importante, pois em um ambiente de nuvem bem configurado, com múltiplas zonas de disponibilidade, é virtualmente impossível a aplicação ficar fora do ar”, explica o sócio-fundador da Informant, Piero Contezini.

Desde 2006, a Informant iniciou a trajetória no mercado utilizando Amazon, principalmente para guardar backups e informações próprias. Após 2007, começaram a usar o então chamado Agil ERP, hoje conhecido como ContaAzul e os demais clientes passaram a empregar em ambiente de produção, em 2008. Mas, vale ressaltar que, apesar de qualquer software poder ser aplicado à nuvem, há alguns fatores de infraestrutura que devem ser levados em consideração durante a migração. Para isso, é preciso contar com empresas que tenham conhecimento de como a aplicação deve ser alterada para que possa desfrutar de todas as vantagens da nuvem, e não acabe tendo um alto custo por utilizar rotinas consideradas obsoletas, como arquivos de dados replicados, alto uso de I/O, cópias simultâneas e transferências desnecessárias de dados. Ou seja, é primordial ter o conhecimento da infraestrutura atual, para poder entender quais os requisitos de uma infraestrutura de nuvem. Além disso, os pontos de acesso da aplicação precisam ter boa conexão com a internet, se possível uma conexão redundante, e com mais de um provedor de acesso.

Para compreender qual a relação e os benefícios do Cloud Computing integrado ao conceito de SaaS, basta analisar o mercado. Uma empresa, que necessita de um software específico, pode encontrar várias soluções prontas para isso, mas para poder acessá-la terá que comprar licenças de uso do software, ou até mesmo um hardware específico para executá-la. Em contrapartida, se a instituição encontrar um fornecedor de software, que irá oferecer o mesmo serviço por meio de uma aplicação em nuvem, a empresa interessada paga um valor menor, apenas pelo uso da aplicação, preocupando-se somente com o acesso ao serviço, feito com uma conexão à internet, ou, na pior das hipóteses, com a instalação de algum recurso mínimo, como um plugin no navegador de internet.

“Podemos apontar como principal vantagem a diminuição de custos de datacenter e Recursos Humanos, pois uma aplicação rodando na Amazon, por exemplo, custa muito menos do que em qualquer datacenter, e não requer intervenção em relação a se ter um servidor dentro da empresa. Outra vantagem é a disponibilidade, pois você consegue construir uma aplicação que rode em diversos continentes, com total redundância, a uma fração do custo que teria este tipo de operação com datacenters tradicionais”, finaliza o sócio-fundador da Informant, Piero Contezini.

A equipe da Informant é parceira da Amazon, e possui conhecimento em outros provedores de nuvem, como Rackspace e Microsoft Azure, sendo parceira também da Microsoft em ambientes Azure.


17
Feb 09

Não compre software, alugue!

O modelo tradicional de compra e venda de produtos há tempos vem se tornando obsoleto, com a globalização e a desvalorização dos bens de consumo, o aluguel se tornou uma atrativa oportunidade para empresas interessadas em agregar serviços a seus já saturados mercados.

Nesta tendência, não demorou muito até o aluguel de software se tornar um modelo viável, chamado de SaaS (Software as a Service), este novo método de comercialização redefine o papel das empresas provedoras de soluções, não mais presentes como fábricas de software, e sim como empresas de serviços interessadas em resolver os problemas dos seus clientes, sem vender “caixas fechadas” com seus produtos.

O SaaS se tornou viável somente após o desenvolvimento da chamada Web 2.0, pois anteriormente, a tecnologia presente não permitia a entrega de soluções de fácil ou quase nenhuma instalação no terminal do cliente, estas soluções dependiam de sistemas operacionais, conexões com bases de dados, bibliotecas de terçeiros e até dezenas de pequenos pacotes de instalação, com a chegada do JavaScript e conseqüentemente o AJAX, as aplicações web puderam se tornar tão ricas quanto aplicações Desktop, assim tornando obsoleto o modelo de instalação máquina a máquina.

Aplicações como o Google Docs, tornaram a web uma grande plataforma de aplicações capazes de devolver praticamente qualquer tipo de experiência de Desktop. Num modelo de negócios híbrido, tornando o acesso gratuito para usuários domésticos, e pago por usuários corporativos, estas soluções vem se tornando cada vez mais viáveis e reduzindo o altíssimo custo de operação e suporte a tecnologia da informação nas empresas.

A Informant não poderia ficar atrás, e em breve estaremos lançando oficialmente nosso ERP no modelo SaaS para cada vez mais reduzir os custos das empresas e garantir a viabilidade de suas operações, sem ter a necessidade de se preocupar com uma infra-estrutura de TI desnecessária e problemática.